A frente tem como objetivo defender e fortalecer o ensino técnico e profissionalizante no Estado, bem como propor e analisar programas que disciplinem todas as questões referentes ao assunto.

 

“O ensino técnico permite o acesso do profissional ao mercado de trabalho bem rápido, ainda bem jovem, ingressando com conhecimento do exercício da profissão, com salário melhor, em média 25% a mais”, afirma o deputado Altair Silva, proponente da frente.

 

De acordo com Altair, o ensino técnico no Brasil precisa ser valorizado, pois só assim “teremos tanto na indústria quanto na agricultura, técnicos habilitados, atualizados com as novidades das suas áreas e que, logo depois do ensino médio, possam sair com uma profissão para trabalhar.”

 

Existem mais de 50 escolas técnicas em Santa Catarina, dos mais diversos setores. A frente pretende atuar em sintonia com essas escolas, com a secretaria estadual da Educação e os setores empresariais e do agronegócio. Altair lembra que um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que pessoas sem formação técnica têm um ganho de apenas 6% no salário quando atuam em uma vaga que exige qualificação. Porém, os que têm formação técnica específica para a vaga ganham 25% a mais.

1 - riscos brancos.png

Frente Parlamentar em Defesa do Ensino Técnico e Profissionalizante