Altair Silva apresenta proposta para proibir corte de água e luz em SC durante pandemia


Com o avanço do novo coronavírus no país, a declaração de emergência em Santa Catarina, autoridades de saúde entraram em alerta sobre o risco de altos índices de transmissões da doença dentro do território brasileiro. E por isso, o deputado estadual Altair Silva apresentou na Assembleia Legislativa um Projeto de Lei para garantir que as famílias e empresas catarinenses, não tenham água, luz e gás cortados, durante o combate ao coronavírus (Covid-19).


Um dos pontos do projeto, determina que a concessionária de energia elétrica, CELESC, a de gás, SCGÁS, e a de água e esgoto, a CASAN, que realizam os serviços no Estado, ficam proibidas de realizar o corte do fornecimento dos serviços pelo período de 180 dias. A medida visa atender especialmente as residências familiares, o comercio e as empresas, evitando assim que a higiene e a necessidade das pessoas fiquem prejudicadas durante o período de emergência de saúde. “O momento é de prevenção. Através do parlamento, junto com o Governo do Estado, estamos tomando todas as providências necessárias para prevenir, e essa proposta quer exatamente isso, não deixar a situação piorar, seja em casa ou no trabalho das pessoas. Além disso, são 11,9 milhões de desempregos no país, e só em Santa Catarina, mais de 20% das pessoas atuando na informalidade, e como ficarão essas pessoas sem ter o mínimo em casa para frear essa transmissão!?”, questiona o autor da proposta.


O deputado também está preocupado com os estabelecimentos comerciais e industriais das cidades com maior concentração de pessoas e casos, que ficam obrigados a esterilizar equipamentos, especialmente balcões, carrinhos e cestas, como é o caso de supermercados, farmácias, e até mesmo as lojas e shopping centers. “Nós estamos recomendando e seguindo tudo aquilo que o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde tem passado. A situação mundial é realmente preocupante, São Paulo já confirmou uma morte, e não queremos que Santa Catarina aumente ainda mais o número de casos confirmados”, comenta Altair.


Decreto de Emergência

Na noite desta terça-feira (17) o governador Carlos Moisés decretou situação de emergência em Santa Catarina, por conta da pandemia. Entre as medidas restritivas do decreto apresentado, nos próximos sete dias, está suspenso o transporte coletivo urbano municipal, intermunicipal e interestadual de passageiros, além de proibição do funcionamento de comércio, academias e restaurantes.


Neste período, permanecerão abertos serviços considerados essenciais, como farmácias, supermercados, unidades de saúde, postos de combustível e distribuidoras de gás e água. Serão mantidos em funcionamento presencial em SC apenas os serviços públicos essenciais no âmbito municipal, estadual e federal. Todos os demais serão exercidos por meio digital ou remoto.


Casos no Estado

Segundo o último boletim divulgado no final desta segunda-feira (16), em Santa Catarina já tínhamos sete casos do novo coronavírus. Entre os casos confirmados, apenas o caso da cidade de Braço do Norte necessitou de internação. Em Florianópolis são três casos, que se somam a outros dois no município de Rancho Queimado, um em Joinville, além do de Braço do Norte. Segundo os dados lançados pela Secretaria de Estado da Saúde junto à Plataforma IVIS do Ministério da Saúde, responsável pela compilação oficial da situação da pandemia no Brasil, outros 109 casos suspeitos estão sendo monitorados também.


Saúde

Para diminuir o fluxo de pessoas no sistema hospitalar, houve a suspensão temporária de exames e cirurgias eletivas e consultas ambulatoriais por parte do Governo do Estado. Há exceção para os procedimentos não prorrogáveis, como exames oncológicos. Os estágios na área hospitalar também foram suspensos temporariamente, assim como as visitas para idosos e doentes crônicos.


Educação

As aulas nas redes públicas e privadas em território catarinense serão suspensas a partir desta quinta-feira (19). O período de suspensão de aulas será de 30 dias, com possibilidade de prorrogação, sendo que os primeiros 15 dias correspondem à antecipação do recesso escolar do mês de julho.


Prevenção

A melhor forma de frear o avanço do coronavírus é a prevenção:

• Caso o paciente apresente os sintomas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores musculares e de cabeça, deve procurar atendimento em uma unidade básica de saúde. Não procure um hospital. Lá os agentes de saúde farão o devido encaminhamento, se necessário, e darão as orientações em relação ao tratamento

• Em caso de dúvidas sobre onde procurar ajuda, as pessoas devem ligar para o número 136, do Disque Saúde, disponibilizado pelo Ministério da Saúde

• Somente serão transferidos para UPAs ou hospitais pacientes em estado mais grave. Os sintomas do coronavírus são semelhantes ao de gripe e a recomendação para quem não tiver o caso agravado é que fique em isolamento e monitoramento em casa

• Idosos e pessoas com doenças crônicas evitem ir a eventos fechados e a locais com aglomeração

• Evite viajar se estiver com febre ou tosse

• Evite contato com pessoas que estiverem visivelmente doentes, principalmente com sintomas respiratórios (tosse ou coriza)

• Higienize as mãos frequentemente, seja com água e sabão ou álcool gel

• Evite tocar os olhos, nariz e boca

• Pratique a etiqueta da tosse: ao tossir e espirrar, cubra a boca com lenço descartável ou antebraço. Descarte o lenço imediatamente

• Se você ficar doente durante uma viagem, procurar imediatamente a tripulação ou equipe médica de bordo

• Na viagem, evite a ingestão de alimentos de procedência duvidosa ou inadequadamente preparados

• Evite o contato com animais silvestres ou animais doentes

• Evite que crianças e adolescentes com menos de 14 anos mantenham contato prolongado com pessoas com mais de 65 anos

• Evite a circulação em locais com grande aglomeração de pessoas, inclusive praias, lagos e lagoas

© Copyright 2018  |  Altair Silva  |  Deputado Estadual

Imagens Meramente Ilustrativas