Frente Parlamentar da Suinocultura é lançada na ALESC

Altair Silva foi eleito coordenador

A instalação da Frente Parlamentar da Suinocultura aconteceu na tarde desta terça-feira (23) na Assembleia Legislativa e reuniu deputados, prefeitos, vereadores, produtores, entidades e núcleos representativos de mais de 20 municípios, todos interessados em discutir as políticas públicas e os principais desafios da atividade.


Durante a reunião da frente, foi realizada a eleição dos coordenadores do colegiado que atuarão em prol do desenvolvimento do setor. O deputado estadual Altair Silva (Progressistas), propositor da frente, foi eleito por unanimidade, como coordenador, e destacou que o desafio será grande. “Será uma honra estar à frente dos trabalhos em prol de uma das principais atividades econômicas do Estado. Sabemos que os desafios da suinocultura são grandes, mas vamos trabalhar nas demandas para fortalecer ainda mais o setor. A viabilização da rota do milho e a manutenção do status sanitário de Santa Catarina como estado livre de aftosa são os primeiros passos”, comenta.


Com mais de 13 mil produtores, a atividade gera 65.000 empregos diretos e 145.000 indiretos somente no território barriga-verde. O presidente da ACCS, Losivanio de Lorenzi, reitera que a Frente será uma importante ligação do setor com as políticas públicas, já que é possível unir forças para lutar por melhores condições no campo. “Um grupo de trabalho composto por representantes de diversas entidades simboliza mais representatividade ao setor. Ganhamos força para tirar do papel as principais reivindicações dos nossos suinocultores, que já enfrentam tantas dificuldades e merecem atenção do poder público. A frente vai fazer a diferença”, declara.


O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Ricardo de Gouvêa, representou o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) na reunião e destacou que Santa Catarina é o maior produtor de suínos do Brasil e necessita de apoio para se manter com acesso ao mercado, que atualmente está associado a boa condição sanitária do estado. “A suinocultura catarinense é conhecida no mundo como sinônimo de qualidade. Vamos continuar buscando tecnologias e novos mercados para que a atividade continue gerando emprego e renda para milhares de famílias no Estado” frisou Gouvêa.